Os critérios de seleção de um firewall se encaixam basicamente em três áreas: funções de segurança, operações e desempenho. Os elementos funcionais de segurança correspondem à eficácia dos controles de segurança e à capacidade da sua equipe de gerenciar o risco associado com os aplicativos que passam pela sua rede.

Da perspectiva operacional, a grande pergunta é “onde está a política de aplicativos e quão difícil e complicado é para sua equipe gerenciá-la”? No quesito desempenho a pergunta também é simples: o firewall é capaz de fazer o que deve fazer de acordo com os requisitos de rendimento da sua empresa?

Embora cada organização tenha requisitos e prioridades variadas nestes três critérios de seleção, as 10 coisas que o seu próximo firewall deve fazer são:

  1. Identificar e controlar aplicativos em qualquer porta
  2. Identificar e controlar circumventores
  3. Descriptografar SSL de saída e controlar SSH
  4. Fornecer controle sobre a função nos aplicativos
  5. Gerenciar o tráfego desconhecido de forma sistemática
  6. Procurar por vírus e malware em aplicativos em todas as portas
  7. Permitir a mesma visibilidade e controle para todos os usuários e dispositivos
  8. Tornar a segurança de rede mais simples, não mais complexa, com a adição de controle de aplicativos
  9. Fornecer o mesmo rendimento e desempenho com controle de aplicativos totalmente ativado
  10. Oferecer suporte exatamente às mesmas funções de firewall em um fator de forma virtualizado ou em hardware

Nessa série de 11 posts, abordaremos cada um desses pontos em detalhes, 10 posts iremos abordar cada um desses pontos importantes para selecionarmos um firewall.